Página do projeto foi lançada no Catarse

A página do projeto de documentário “Pinheirinho – um ano depois” foi lançada nesta última sexta-feira no site do Catarse. Assim, agora já é possível que todas as pessoas possam colaborar com o projeto para que possamos produzir o filme e dar voz à história dos moradores do Pinheirinho desde o momento da reintegração de posse, realizada no dia 22 de janeiro de 2012.

As contribuições podem ser feitas a partir de R$ 10,00 e, como incentivo para conseguir mais colaboradores, pensamos em uma série de recompensas que serão oferecidas a cada colaborador de acordo com o valor de sua contribuição. Desde o nome nas páginas de agradecimento do projeto neste blog e nas redes sociais, passando por ter o nome incluído nos créditos, uma camiseta exclusiva do projeto de documentário, um DVD especial e até mesmo participar da noite de pré-estréia do filme que estamos organizando para ser realizada em São José dos Campos.

PARA SABER MAIS COMO CONTRIBUIR COM O PROJETO, nossos objetivos extras e os valores das colaborações, visite nossa página no site do catarse.

LANÇAMENTO do vídeo para captação de recursos no Catarse

Acaba de sair do forno o vídeo que a equipe de produção do projeto de documentário PINHEIRINHO, UM ANO DEPOIS vai disponibilizar no Catarse para pedir a colaboração dos amigos a fim de arrecadar o fundo necessário para conseguirmos produzi-lo.

Imagem: Juliana A. Reis

Foi difícil editar todo o material que colhemos em um vídeo de cinco minutos, mas acho que conseguimos um excelente resultado. Neste vídeo contamos com os depoimentos de ex-moradores da comunidade do Pinheirinho, como a Carmen Benedita de Jesus e a Marinalva, além do líder comunitário, Valdir Martins, o Marrom e os depoimentos do Senador da República, Eduardo Supplicy e da relatora especial da ONU para moradia adequada, a professora Raquel Rolnik. Há outros depoimentos colhidos, mas como disse, planejávamos fazer um vídeo de 3:30 e, no final, o vídeo que vamos subir está com 5:00 de duração.

Agora o projeto entra na fase de captação de recursos, que é a fase mais complicada. Optamos pelo sistema de Crowd Funding, que no Brasil ganhou corpo através do site do Catarse. O vídeo ainda não foi disponibilizado no site, mas em breve já estaremos com nossa página registrada e você poderá colaborar. Por enquanto, você já pode ver o vídeo abaixo para ter uma ideia do documentário que pretendemos fazer.

Após a captação dos recursos, a ideia é viajar algumas vezes a São José dos Campos e acompanhar o dia-a-dia da vida dos ex-moradores do Pinheirinho em suas casas. Além disso, também continuaremos a entrevistar alguns especialistas sobre o assunto, políticos e demais envolvidos no caso do Pinheirinho. Tentaremos acompanhar o leilão da área que foi desocupada e, também, falar com Prefeito de São José dos Campos, Juíza que deu a ordem da desocupação de posse, comandantes da Polícia Militar e demais envolvidos com a ação  de reintegração de posse.

Por enauqnto, em nome da equipe de produção, gostaria de agradecer aos entrevistados, a todos que participaram das gravações e aos amigos que colaboraram ajudando a conseguir as entrevistas ou produzindo materiais. Aqui segue o nome de alguns a quem gostaríamos de agradecer:

Entrevistados:

  • Carmen Benedita de Jesus
  • Marinalva Ferreira da Silva
  • Juarez Silva
  • Valdir Martins
  • Eduardo Supplicy
  • Raquel Rolnik

Equipe de Apoio:

  • Juliana Amoasei Reis
  • Sandra José Paulino

Equipe de Produção:

  • Diva Nassar
  • Felipe Leite Gil
  • Jean Gold
  • José Rogério Beier
  • Juliana M. Lima
  • Lucas Lespier
  • Patrícia Brandão
  • Vitor Vasconcelos

Edital de leilão do terreno do Pinheirinho

Como noticiamos ontem, no dia 31 de agosto de 2012 foi publicado no Diário Oficial da Justiça o edital de leilão do Pinheirinho. Os grandes jornais anunciaram que o leilão seria hoje, 03 de setembro, e todos saíram atrás copiando a notícia. Alertados pelo colega Márcio Sotelo, fomos atrás da notícia correta e acessamos o site do Diário da Justiça Eletrônico, onde vimos que o leilão será realizado no dia 03 de OUTUBRO DE 2012, às 14 horas, na Avenida Brasil, 478 – São Paulo-SP.

Para evitar novos erros, copiamos as páginas 345 e 346 do Caderno 5 – Editais e Leilões para melhor informarmos sobre este tema. Veja abaixo o edital tal como foi publicado pelo Diário da Justiça:

Página 345

Página 346

Pinheirinho vai a leilão nesta segunda-feira

Nesta última sexta-feira, dia 31 de agosto de 2012, foi publicado no Diário Oficial de Justiça de São Paulo o edital do leilão do terreno do Pinheirinho, em São José dos Campo. Como todos sabemos, em 22 de janeiro deste ano o local foi alvo de uma ação de reintegração de posse que retirou mais de 1.500 famílias que viviam na área há cerca de oito anos.

Leilão do Pinheirinho

Segundo o edital, o valor inicial para os lances é de R$ 187,4 milhões. Segundo informações que estão sendo publicadas nos jornais, este preço foi definido por um perito judicial e equivale ao dobro do valor venal do imóvel, cuja certidão de registro da prefeitura de São José é de quase R$ 93 milhões. O local tem uma área de 1,3 milhões de metros quadrados. A justificativa dada para a pressa em leiloar o terreno é que parte da renda será revertida para pagamento de dívidas à prefeitura e ao governo federal, que juntas podem chegar a R$ 30 milhões. De acordo com a Justiça, o imóvel é o único bem em nome da empresa.

O pregão será aberto nesta segunda-feira (3/9) na modalidade mista (presencial e on line). O prazo será encerrado às 14h no próximo dia 3 de outubro.

Conselho Nacional de Justiça vai investigar a atuação de juízes envolvidos na desocupação do Pinheirinho

Segundo reportagem de Lúcia Rodrigues, divulgada pela Rede Brasil Atual, os juízes envolvidos na desocupação do Pinheirinho serão investigados pela Justiça.

A notícia da conta de que o Conselho Nacional de Justiça acolheu representação da Associação de Moradores do Pinheirinho que pede a investigação sobre a atuação do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Ivan Sartori, e dos juízes Rodrigo Capez e Márcia Loureiro. O texto foi assinado por juristas de peso como Fábio Konder Comparato, Dalmo Dalari, Celso Antonio Bandeira de Mello.

O ex-presidente da OAB, Cezar Britto, encabeça a lista de assinaturas que pede a investigação dos magistrados pelo CNJ. Aristeu Pinto Neto, advogado da OAB de São José dos Campos diz que entre os principais argumentos para sustentar a ação contra os juízes estão, a violência policial, a inobservância do interesse manifesto das três esferas da União para regularizar a área e a quebra do pacto federativo por parte do presidente do TJ paulista, que não obedeceu a determinação de um juiz federal que impedia a desocupação. “Começa daí e passa por condutas específicas do próprio Ivan Sartori e  da juíza [Márcia Faria Mathey]. Ela não permitiu o ingresso da Defensoria Pública para defender as famílias e, ao mesmo tempo, convocou o controle de zoonoses, demostrando preocupação maior com os cães do que com as pessoas que estavam lá”, disse Pinto Neto.

Para o advogado que acompanha as famílias desocupadas do Pinheirinho, Antonio Donizeti Ferreira, o Toninho, “É muito importante esse passo. Alguém tem de pagar pelo que aconteceu. Eles fizeram tudo de maneira irregular. Foi uma malvadeza. As famílias estão sofrendo muito até hoje”.

Veja a reportagem completa e escute as entrevistas de Cezar Britto, ex-presidente da OAB e Antonio Donizeti Ferreira, advogado das famílias desocupadas do PInheirinho, diretamente na página da reportagem do portal da Rede Brasil Atual.

Justiça vai leiloar terreno do Pinheirinho

É com grande tristeza que recebemos a notícia do site da revista Caros Amigos de que a justiça, sete meses após a violenta desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), vai leiloar o terreno e usar parte da verba para pagamento da dívida da empresa Selecta, do empresário e especulador financeiro Naji Nahas. De acordo com reportagem de Beatriz Rosa, veiculada no jornal “O Vale”, a massa falida da Selecta, proprietária do terreno onde viviam cerca de 1.700 famílias, está sob a responsabilidade do juiz Luiz Beethoven Giffoni Ferreira, da 18ª Vara Cível.
Foto de Cláudio CapuchoA pedido de O VALE, o especialista em avaliação de terreno, José Silvio da Costa Manso, fez uma avaliação informal da área.
Segundo ele, a estimativa é que o valor do metro quadrado naquela região varie de R$ 80 a R$ 100. Assim, a gleba valeria de R$ 108 milhões a R$ 136 milhões, respectivamente.

É a última área nobre da zona sul, bem localizada e que pode receber condomínios residenciais ou industriais. As grandes construtoras certamente estarão de olho”, disse Manso.

De acordo com informações da Justiça publicadas no jornal, o terreno onde caberiam 138 campos de futebol irá a leilão, em data ainda a ser definida, pelo valor de R$ 187 milhões, que serão usadas para pagamento de credores da Selecta, que são a Prefeitura de São José e o governo federal – R$ 17 milhões são dívidas em impostos com o município e R$ 11 milhões com a União. Ainda de acordo com o jornal, a Lei de Zoneamento para a região onde está Pinheirinho define como de uso industrial, como fábricas e galpões. O edital do leilão será publicado dia 26 desse mês de agosto e ocorrerá apenas no fim de setembro ou começo de outubro na Casa Sodré Santoro, em São Paulo – está vedada a participação de empresas públicas, segundo declaração ao jornal do advogado da Selecta, Sidney Palharini Júnior.Desde que foi desocupado, o terreno permanece abandonado e com o entulho que sobrou da ação policial e da Prefeitura.

Ao escutar a liderança do Pinheirinho e seu advogado, a reportagem de O Vale destaca que para Valdir Martins, o Marrom o destino justo do terreno seria a desapropriação por parte do governo federal. Já o advogado Antonio Donizete Ferreira, o Toninho, criticou o leilão do terreno. Segundo ele: “existem dúvidas jurídicas sobre a ação de reintegração de posse que ainda correm na Justiça. Eles têm pressa em vender a área porque há ilegalidades na desocupação”, disse. Para Ferreira, o desfecho do caso só privilegia o megaespeculador Naji Nahas.

Fundada a Associação Mães do Pinheirinho

É com muita alegria que fomos informados pela colega Andrea Luswarghi que ontem, dia 06/08/2012, foi fundada oficialmente a Associação Mães do Pinheirinho. Abaixo segue o texto retirado de uma rede social onde ela informou a fundação da Associação:

Caros Amigos,

Ontem foi um dia muito importante para todas(os) nós. Com muita alegria comunicamos a fundação oficial da Associação Mães do Pinheirinho. Chamamos todos os amigos que pelo mundo afora nos apoiaram de diversas formas para nos adicionar como amigas aqui no facebook. Queremos agradecer a todos vocês, o seu apoio foi e continua sendo uma esperança para nós.

Começamos nossas reuniões de domingo em março desse ano, quando fecharam o último abrigo. Era um período muito difícil porque todas estavam traumatizadas e deprimidas. As nossas reuniões de domingo eram terapêuticas, era necessário desabafar, pôr pra fora toda aquela dor que sufocava e oprimia. Era preciso curar as feridas buscando um ponto de referência que nos lembrasse da nossa identidade. Naquele momento era difícil sequer pensar em recomeçar do zero. 

Foi nos apoiando umas nas outras que ganhamos força e as idéias foram surgindo. Então, porque não transformar esse grupo de amigas em uma associação que expandisse aquela união que nos curava? Foi aí que percebemos que juntas podemos ir em busca dos nossos objetivos, de justiça, podemos dizer um basta à violência! com trabalho, com garra, com perseverança e muita honestidade, como nós realmente somos!As finalidades da Associação Mães do Pinheirinho são muitas, entre elas, queremos – estimular a expressão e a atuação feminina, com ênfase no empoderamento das mulheres através da educação, do conhecimento e do trabalho para a conquista de seus direitos; 
  • promover a justiça, o diálogo e a paz; 
  • estimular valores e atitudes como honestidade e transparência, cuidado amoroso, solidariedade, fraternidade, gentileza e respeito por todos os seres vivos; 
  • elevar a auto-estima dos membros da comunidade do Pinheirinho para que reconheçam seu valor como seres humanos e seu papel social no trabalho por moradia digna e justiça para as populações carentes do Brasil; 
  • fomentar a consciência cidadã e o engajamento da sociedade na promoção e na defesa dos direitos humanos; 
  • identificar, estudar e propor soluções para os problemas da comunidade; desenvolver atividades e projetos educacionais, culturais, recreativos, de geração de renda, de promoção da saúde, entre outros que beneficiem a comunidade; 
  • proteger e promover o bem estar social da comunidade do Pinheirinho, especialmente das crianças, adolescentes e idosos.

Vamos estar em contato com vocês por aqui. Abraços e agradecimentos a todos.

Nosso total apoio à fundação da Associação Mães do Pinheirinho e, desde já, afirmamos nosso interesse em escutar o que essas mulheres tem a dizer sobre como estão vivendo todo este tempo desde a desocupação.